segunda-feira, 25 de maio de 2009

Ruy Belo

E tudo era possível
.
Na minha juventude antes de ter saído
da casa dos meus pais disposto a viajar
eu conhecia já o rebentar do mar
das páginas dos livros que já tinha lido

.
Chegava o mês de maio era tudo florido
o rolo das manhãs punha-se a circular
e era só ouvir o sonhador falar
da vida como se ela houvesse acontecido
.
E tudo se passava numa outra vida
e havia para as coisas sempre uma saída
Quanto foi isso? Eu próprio não o sei dizer
.
Só sei que tinha o poder duma criança
entre as coisas e mim havia vizinhança
e tudo era possível era só querer

.
Ruy Belo
.
RUIde Moura Ribeiro BELO, nasceu em S. João da Ribeira (Rio Maior), em 27 de Fevereiro de 1933, e faleceu em 8 de Agosto de 1978, apenas com 45 anos, em Monte Abraão (Queluz).
Poeta de reconhecido mérito, escreveu, entre outros, Aquele Grande Rio Eufrates, Boca Bilingue, Homem de Palavra(s), País Possível, Transporte no Tempo, A Margem da Alegria, Toda a Terra e Despeço-me da Terra da Alegria, este livro escrito um ano antes da sua morte.

2 comentários:

Judô e Poesia disse...

Gostei do modêlo, o poema acompanhado de síntese biográfica do Autor. Estabeleci um link com o meu blog para poder estar a par das novas publicações. Belo trabalho. Foi um prazer estar aqui. Domingos.

Aníbal José de Matos disse...

Obrigado pela sua visita.
Fui taném descobrir o seu blogue e achei-o excelente. Continue. Sempre ao dispor,
Aníbal José de Matos

 
contador online gratis