quarta-feira, 21 de abril de 2010

Joaquim Soares Duarte


Meu Portugal

Meu Portugal velhinho,
Tantos anos passados, tantos
Tiveste heróis e santos!
Homens duma palavra só
Duma honradez total
Mas... agora!
Oh! Portugal!
Só te dão enganos.
Voltando costas
Ao teu glorioso passado!
Em cada dia,
São tantos os vendilhões
De antanho!
Se um João de Castro voltasse...
E um Egas Moniz?...
(meu Portugal velhinho
Não diz
Nada, não diz?)
Oh! meu Portugal velhinho!
O que vejo e sinto
Mudará?
Não perdes a esperança?
O bom povo aguardará
Por tal mudança,
Já basta, meu velhinho.

Joaquim Soares Duarte

O autor é natural da Nazaré, tendo trabalhado como radialista em Goa, Guiné, Lisboa, Coimbra. Batalha, Nazaré e Leiria.´Editou o livro de poesia "Pedaços de Vida", tendo recebido diversas distinções culturais.In "II Antologia de Poetas Lusófonos"

1 comentário:

as-nunes disse...

Joaquim Soares Duarte faleceu a 13 do corrente mês.

RIP

 
contador online gratis