segunda-feira, 12 de abril de 2010

Sérgio Milliet


Aniversário


Faço hoje 25 anos
Metade da vida já passou
Doenças viagens amores
Passou
Escreverei o fim do romance?
A vida abre-me asas duvidosas
Ora sim ora não pêndulamente
E nem sei por que sim
E porque não
Indiferença
Fatalismo
Fui rajá numa noite de orgia
Ergui um templo a Buda
No vale de Caxemira
Onde lagos de lótus têm risos para o céu
Mas fui Cristo também
Numa cidade da Suíça
De braços abertos sobre a neve
Olhando cair os pássaros alvos
Da abóbada de chumbo
Mas era um Cristo fazendeiro conferencista literato
Metade da vida já passou
Livros sonetos e versos
Passou
Continuarei?
O tédio queima como álcool
Acrisolando a alma
Escancarando os olhos da imaginação
Porém nenhuma ilusão mais
Morreram aos vinte
E passaram-se cinco
Rápidos perversos furacão
Cinematógrafo acelerado
Fita cómico-grotesto-trágica
Uma vida de cão Charles-Chaplin
Tem galinha
Cartolinha
E essa esperança que é mais forte do que a vida…
Continuarei

Sérgio Milliet

Sérgio Milliet da Costa e Silva, nasceu em São Paulo (Brasil), a 20 de Setembro de 1898 e faleceu na sua cidade natal em 9 de Novembro de 1966.
Foi professor do ensino superior, jornalista e poeta.
Entre muitas outras obras, escreveu Poemas Análogos, Poemas, Poema do Trigésimo Dia, Cartas à Dançarina e 40 anos de Poesia.

2 comentários:

Julio Saraiva disse...

sérgio millet foi a melhor pessoa que conheci. dividia mesa na redação do diário da noite comigo.tinha banco cativo no pari bar. uma noite me apresentou vinícius de moraes.vinícius ficou meu amigo. millet para sempre.

Aníbal José de Matos disse...

Obrigado por essa achega.
Não há dúvida de que o meu Amigo se tem relacionado com grandes valores nas mais diversas áreas.
É bom para o nosso ego.
Um abraço deste cantinho à beira-mar plantado para esse lado do Oceano.
Aníbal

 
contador online gratis